terça-feira, 23 de junho de 2009

o pior dia do mundo

estou ensaiando para escrever desde hj cedo, mas é impossível descrever como me sinto! o meu desespero começou ontem, quando a elisa me ligou avisando que os exames da pê estavam péssimos... creatinina 9,78 e uréia 400.

desde sábado tenho sentido ela amuada e por isso resolvemos fazer exames. na segunda a angélica examinou, mas não disse nada, mas achou ela mal, a boca estava péssima, saliva espessa. a gente sabe. não me pergunte como.

eu tive uma síncope nervosa. liguei ou mandei e-mail para todos que lembrei. alguns ligaram, outros retomaram com mensagens. fiquei um tempão com a susan ao telefone, chorando em pânico, ao ponto de não conseguir falar nada e ela lá, tentando me fazer conversar. depois me acalmei, tentei dormir...

chorei como criança por horas, olhando a pê no sofá, agradecendo por ela ter iluminado meus dias e pedindo desculpas por não ter mais o que fazer por ela. a angélica não disse nada, mas eu já sabia. disse mil vezes que a amava e a coloquei na minha cama antes de dormir.

como sempre, ela saiu e só voltou depois. ficou em cima da minha coxa, se aninhou e dormiu. no meio da noite acordei toda molhada. pensei, porra, to velha para fazer xixi na cama. aí vi que só minha coxa estava molhada e que o xixi era da pê. ela dormindinho de bolinha se mijou toda e continuou ali, deitada no xixi.

arrumei as coisas e tentei dormir de novo. uma hora mais tarde, ela fez xixi de novo. desta vez só de mudei de lugar. por duas vezes achei que ela tivesse morrido esta noite. bolinha, enroladinha e mesmo ao meu estalar de dedos ela não acordava. tive que chacoalhar. quando acordei, tava inchada e cansada.

a elisa me levou na angélica. no caminho, a pê se desequilibrava e rolava dentro da caixa em cada curva. não tinha mais forças para se segurar de pé.

já na angélica, ela andou, tentou entrar na gaiola de alguns gatos e por um momento achei que tudo tinha se resolvido e que ela não precisaria partir. aí ofereci a/d e ela tentou comer, cheirou, lambeu, mas não conseguiu comer, pois devia estar com dor na boquinha. neste instante eu tive certeza que era a coisa certa a fazer.

eu achei que era melhor não assistir, mas fiquei com medo de me arrepender e mudei de idéia. quando avisei, a angélica preparou tudo. estávamos a pê, a su, a elisa, a mari, a angélica e eu. foi terrível. a pior coisa que me aconteceu de longe.

a pê reclamou a beça para ser furada pela última vez. tivemos que tentar 3x. cheguei a desistir e pedi que se não fosse para ser, que a gente errasse de novo, mas acertamos. a angélica colocou soro. eu tava com ela, fazendo carinho e tentando acalmá-la. quando injetamos a anestesia, ela foi acalmando e deitando nas minhas mãos, até que deitou completamente. em questão de segundos o clima tenso se transformou em tranqüilo, triste e profundo.

sei que não é hora de pensar nisso, mas acho que eu deixei as meninas impressionadas, pois eu gritei e tive um surto. chorei, solucei, pedi desculpas, agradeci e disse que a amava. fiquei ali chorando por 4 horas [na minha cabeça], mas foram alguns minutos. as quatro respeitaram meu momento e se afastaram. tenho a lembrança de uma mão me acarinhando as costas, mas não sei identificar quem era. tava tudo escuro e frio.

a pê ainda estava ali, mas não mais no seu corpinho magrelo de modelão. sou bem cética, mas naquele momento percebi que minha filha tava ali comigo e que eu tinha feito o que tinha que ser feito. pq é assim que eu sou. faço o que tem que fazer!

depois disso, tive que engolir tudo e vir trabalhar. pq as pessoas sentem muito, mas não prorrogam os prazos para vc curtir seu luto em paz. to aqui ainda. trabalhei que nem maluca hj. chorando, aos prantos, mas fiz o que tinha que ser feito de novo.

não sou uma pessoa de meias palavras, não gosto de todos que conheço, mas hj, aprendi a ter um pouco mais de compaixão. não desejo para um pior inimigo o que eu passei. o que a pê passou. espero que este sofrimento passe.

a casa ainda está de cabeça para o ar. com edredom e cama com o xixizinho dela. fui em casa antes de vir para o trabalho. a lorena não entendeu pq eu estava sozinha. procurou pela pê. meus gatos em olhando com cara de ué. mas eles precisam de mim e, de novo, eu vou fazer o que tem que ser feito. sofrer. pq eu tenho este direito e ninguém pode tirá-lo de mim. depois, bom, depois a vida mostra, né? quem sabe?

mas queria agradecer de coração a todas que mandaram mensagens, carinhos, telefonemas e sinais de fumaça. em especial, quero agradecer a minha amiga angélica, que nunca me desamparou nesta jornada. foram 5 meses de sofrimento e angustia e ela sempre lá, às 8h30 da manhã com as agulhas em punho e cérebro a mil estudando e caçando tratamentos para ajudar minha filha. por hj, pela forma que ela conduziu tudo, por me amparar, mesmo sem se quer termos trocado olhares até a pê partir. acho que eu não tive coragem.

a susan, por tudo que fez por mim e pela pepita. por ter ajudado financeiramente, emocionalmente. pelos domingos de soro, por ter emprestado o colo do marido dela para a pê deitar nos domingos de “visita”. por ter aberto a casa dela. pelas palavras de carinho, por estar comigo no momento.

a elisa, que sempre me ajudou. por ser mesmo amiga. no significado real da palavra. a mari, que saiu correndo da casa dela e foi nos ver e nos apoiar a pê. pelo carinho, pelo post no blog, pelo apoio.

a ju, por ter colocado a pê na minha vida. resgatado ela e depois me dado a oportunidade de ser lar temporáio dela.a quel, dê, sol, rô, thiago, sil, marisa, rosinha, nice, dani, amandinha. todos, cada um de vocês está no meu coração. jamais vou esquecer o que cada um fez por nós.
hj eu morri um pouco. e nem sei quanto tempo vou ficar assim. mas me darei o direito de ficar de luto, de sofrer, de sentir. e que esta dor se transforme em saudade...

pê, fedidinha, a mãe ama vc com todas as forças. se eu pudesse, morreria para que vc vivesse em meu lugar, saudável. certeza que o céu dos gatinhos agora está mais delicado, gentil, carinhoso, e lindo. que é assim que sua alma é!

39 comentários:

Anônimo disse...

Lu, eu nao conheco essa dor mas me solidarizo muito.
Eu amo minhas gatas do mais fundo do meu coracao e nao sei como seria a minha vida sem elas.
Mas o importante é que a Pepita teve vc na vida dela, e sim, o ceu dos gatinhos esta mais lindo agora. Vcs tem muita sorte de terem tido uma a outra.
Forca! Kalu

chiesa78 disse...

Sei exatamente o que vc está sentindo. Minha Titi teve câncer, definhou por meses até não poder mais suportar, e tive que levá-la para o adeus. Tbm tive que trabalhar o dia todo, inchada, entre lágrimas. Já se vão quase 2 anos, e ainda choro ao lembrar. Depois de um ano sem gatos, um 'menino' me escolheu e agora tenho dois. Seu texto trouxe de volta tudo que passei naquele última dia com minha Titi. Não posso dizer que essa dor vai passar, mas ameniza um pouco. Fique forte, pelos outros filhotes!

cynthia disse...

não tiro vc da cabeça!eu SEI o que vc está sentindo! viva seu luto, lamba suas feridas, só assim vc consegue sobreviver!Seus peludos, com certeza sabem o que vc está sentindo! A dra Angélica é uma pesssoa maravilhosa e incansável, que me deu mto apoio qdo a nina se foi. a Pepita SABE todo o amor que vc dedicou a ela. A dor não passa, mas melhora, o carinho dos outros filhos peludos ajudam mto!
bj
cyn

Nice disse...

Lu,
um beijo...meu carinho vai todo pra vc.

Bigodes e Almofadinhas disse...

Lu, desde a hora que vc ligou para avisar, fiquei com o coração apertado, tentando pensar em um jeito de ajudar, mas desisti. Durante o dia todo fiquei me segurando pra não chorar junto vendo vc... e pra não socar as pessoas por não respeitarem a sua dor. Quando morre alguém da família todo mundo vai, dá abraço, dá o tempo que a pessoa precisa. E pq não fazem isso quando são animais?? Todo mundo fazia uma cara de coco insuportável. Fiquei muito brava. Mas, enfim, as pessoas são assim. Tentei me colocar no seu lugar e dói só desse pensamento aparecer. Resolvi só emitir pensamentos de melhora, espero que tenham ajudado. Durante o dia, fiquei triste de saber que vc estava triste, mas qndo saí de lá, comecei a pensar na fofura da Pepita. Uma pepita de ouro mesmo. Delicadinha, pequena, princesa. Desculpa o radicalismo... mas tanta gente que podia morrer, né??
No que precisar, conte comigo. Não sou mto boa de consolo, mas eu prometo tentar!! :)

tatiane disse...

luisa,
conversamos algumas poucas vezes, sou a mãe da borboleta. sei o que voce está passando, pois infelizmente já tive que me despedir de uma filhinha quase assim. a dor vai ficar mesmo ai por um bom tempo, a minha ainda não passou, só ficou mais longe. se permita mesmo sofrer e estar de luto e deixe o nico, o miguel, a lorena e os outros gatinhos te ajudarem, serem seu porto seguro, eles sabem, sentem o que voce está passando. pense que você ficou com ela até o fim, esteve la do lado dela...ela nao estava sozinha, nem desamparada. eu não tive essa chance, de me despedir. Um abraço e muita força para você. tati

Teodoro disse...

O seu amor fez a Pê viver feliz, tenha certeza disso. Fique em paz.

Michelle Redondo disse...

Pois é Luísa, não é nada fácil... Tb passei por isso sei exatamente o que está sentindo, no meu caso com um detalhe...Meu marido longe, sem poder me ajudar a segurar as pontas. Mas Deus não desampara ninguém e eu tive muito apoio de amigos, que são mais que irmãos para mim. É duro, mas pelo menos ela foi tratada,e foi feito o melhor. Na hora qdo decidi fazer no meu Leozinho, quase morri qdo tive que assinar um termo, e ainda ficar ao lado dele sem chorar, pois não queria que ele me visse chorando... Depois chorei tanto que parecia que ia ter um treco. Mas é a vida...tem vezes que a gente tem que passar por isso e ninguém passa pela gente, só a gente mesmo.
Fica em paz, e se precisar conversar pode contar comigo, se não quiser tudo bem, te entendo perfeitamente.
Bjs

Mariana Bellegarde disse...

a mão era minha, lu!

Silvia disse...

:_(
sem palavras... um abraço bem apertadinho.

Bernadete disse...

Luiza, nunca postei aqui, só no blog AUG, mas companho sua luta pelos gatos. Que tristeza! Mas deixa essa tristeza ir. Não esconda não, pq aí ela fica sempre escondida. Deixa ela ir, assim vc vai ficar com o amor e a saudade.
Cuida da sua saúde, pq na tristeza a gente se descuida, sabe?
E com saúde, vc poderá fazer com que muitos vejam o valor de uma vida. Mesmo que seja um gato, cão, papagaio, não importa: é uma vida e tem valor.Muitos gatinhos ainda serão ajudados por vc e eles precisam da sua disposição e do seu amor. A Pepita vai te ajudar pra sempre.
Chora querida, chora que lava a alma.

Felina disse...

sem palavras, apenas um abraço muito apertado e um beijo quentinho!

Amandinha disse...

Lu... Que o tempo acalme seu coração. Só ele mesmo... Se permita chorar até virar um peixe boi. Se permita ser descrente, egoísta, rancorosa e questionadora. Sofra tudo o q vc quiser e até quando vc quiser.

Foi um privilégio eu ter conhecido a Pê.

Estou por aqui... Amamos vc :-)

Um beijo enorme
Amandinha

Alice disse...

Ela agora está bem! Sei que não é o que queres ouvir e que as palavras agora não têm qualquer significado! Pensa que o sofrimento dela acabou e que tens recordações maravilhosas dela.
Todos já passámos pela perda de um "filhote" e nada faz sentido nessas alturas mas estamos aqui contigo para o que der e vier.

Um beijinho da Ana e marradinhas especiais do Pepe e da Alice

Sylvia disse...

Luisa, com certeza vc fez td que podia e a Pepita vai estar sempre no seu coração. Força neste momento tão dificil.
bj Sylvia e lambidinhas da Tita, Nina e Docinho.

Josi disse...

Luisa acompanho seu blog a um tempo, conheci através do AUG. Sinto muito mesmo pela Pepita, peço a Deus que te de forças e conforte seu coração. Mesmo sem te conhecer pessoalmente entendo o que vc sente e daqui vou ficar pedindo a Deus que te ajude e te acomapanhe na sua caminhada. Daqui te envio um abraço virtual.

Camila Vieira disse...

Luísa, se a Pepita tivesse sido adotada por outra pessoa, talvez essa pessoa não tivesse feito tudo o que podia ser feito. Só você mesmo... Deu um lar, amor, carinho, valor... E um presente, a Lorena, que agora ela deixa com você. Você soube o que fazer, foi o melhor para ela. Energias positivas para você.

Nivea disse...

Luíza,

Queria conseguir te dizer muitas coisas, mas estão todas travadas na minha mente e na minha garganta, juntos das lágrimas que insisto em segurar.

Passei por tudo isso em dezembro de 2005, quando depois de muita luta e resistência tive que ajudar meu Igor a parar de sofrer e deixá-lo recuperar suas asas de anjogato e habitar o céu dos gatinhos. Como você disse, é uma situação que a gente não deseja para o pior e maior inimigo.

Hoje, ainda não consigo ver suas fotos sem chorar desconsoladamente. Tive cinco anos com o meu Floquinho Branco, que embora fosse um menino, era todo delicadinho, doce, meigo, chameguento.

O que resta é aquela pergunta irracional, 'por quê acontece isso com a gente?'. Como sempre, meu lado racional acredita que tudo tem uma razão de ser, um objetivo. Mesmo assim, nada preenche o vázio, nada remedia a dor e alivia o sofrimento, nada nos conforta. Então, o que dizer, né?

Você é um ser iluminado, adotou a fofucha adulta e doente, deu-lhe muito amor e carinho, acima de tudo foi genorosa, porque sabia que a vidinha dela aqui com a gente não seria longa. Ela sabe disso tudo e hoje olha por você de onde ela está. Quem sabe esteja namogatando o meu Igor. rsrs (em meio a mtas lágrimas)

Querida, te desejo toda a força do mundo para passar por essa fase. Queria poder te dar um abraço pessoalmente, então sinta-o virtualmente como uma forma de confortá-la.

Grande beijo.

Nívea.

P.S. Já postei antes, mas acho que deu problema, senão ignere o post anterior.

P.S.2 Sempre acompanho o seu blog e adoro você e o seu trabalho com os temporários, bem como a sua família de 'piludos'.

Rose disse...

Ai menina, qta dor. Vi a notícia no AUG, e chorei muito. Tenho certeza que a Pepita está no céu dos gatos te agradecendo a vida feliz que vc proporcionou a ela. Ela estará sempre te mandando energia positiva para vc continuar ajudando os gatinhos como fez com ela.
Bj grande e fica bem.

Tatiana disse...

Oi, meu nome é Taty, sou leitora do blog do Joaquim e foi pot lá que cheguei ao seu blog, estou deveras triste com o que acabei de ler, na verdade estou chorando e minha chefe me olhando.
Queria apenas te dizer para ter força e que vc fez a coisa certa, dói e dói muito e nem quero te falar que tudo vai ficar bem que não vai, como vc mesma disse, a vida mostra né.
Fique com Deus e se precisar de mim para conversar, desabafar, chorar, etc segue o meu e-mail: tcidro@uol.com.br

Dricalaz e os Gatonetes... disse...

...Já lhe escrevi algumas vezes, acompanho seu blog, me considero uma louca por gatos tb e passei por isso duas vezes, seguidas!. Entendo a sua dor, más acredite,
infelizmente eles tem que ir, antes da gente, é terrível, não dá para aceitar, más quem cuidará deles...Vc fez tudo por ela, quando o homem lá de cima quer...Nem brigando com ele!.
Com certeza ela estará olhando por vc, eu acredito!. A minha primeira que passou por isso, a Luli, eu a vi, depois que se foi, a Pepita já era um anjinho, agora criou asinhas, linda...Olha eu vou rezar, aqui de longe, para que São Francisco a receba bem e que essa dor, tristeza, passe logo!, Afinal, vc precisa estar bem para cuidar dos seus outros filhos... Força!!! Abraço apertado, fica com Deus!.

Bárbara disse...

Amiga! Compartilho sua dor. Meu cachorrinho basset, Bingo, morreu há 3 anos, aos 17 anos (era o highlander) nas mesmas condições. Também quis acompanhá-lo até o fim, afinal desde que eu tinha 10 anos de idade ele era meu melhor amigo. Chorei, me desesperei, trabalhei choranso (dou professora de Direito Penal, então foi complicado...) mas tô aqui. Hoje tenho dois bebezões felinos, o Ozzy e a Tia. São meus amores lindos. Mas o lugar do Bingo é só dele, no meu coração, nas minhas lembranças de 17 anos que eu tive ele comigo em todos os momentos. Força, querida. A dor passa mas a saudade e o amor ficarão pra sempre.

Um grande beijo de BH, Bárbara.

Dani disse...

Lu, estou com vc no que precisar.
Te amo e te admiro de montão

Dani

Cibele disse...

Olá,
Fiquei emocionada lendo seu post.
A perda de uma filhotinha felina não deve ser mesmo fácil.
Te mando um abraço e um beijinho e força para seguir em frente.

Cibele

Gisa disse...

Estive aqui mais de uma vez e não tive coragem de postar. Sei que estás muito bem acompanhada por amigas muito mais chegadas que eu, e senti um pouco como se fosse invadir essa intimidade. Mas aprendi a te admirar e sentia, mesmo de longe, muito carinho pela tua pequena e não quis pecar pela omissão. Sou muito mais velha do que tu e já tive inúmeras perdas: humanas, felinas, caninas. Cada uma delas levou um pedaço de mim, mas o período de amor e de companheirismo que me deram (e ainda me dão, sinto aqui no fundinho do coração) valeu todo o sofrimento. O tempo não elimina o sentimento de perda, mas suaviza. Sou humana e, como todos, muito falha, mas tenho certeza que tua pequeninha quer te ver bem e a maior homenagem que podes lhe fazer é continuar te dedicando, como sempre fizeste, a tantos anjinhos como ela que também precisam de ti. Existem pessoas que nasceram para se entregar de corpo e coração; elas sofrem com essa entrega, mas são um conforto e um apoio para muitos seres necessitados: sinto que és assim.
Beijos

Nana disse...

Lu:
Vc não faz idéia de como sempre te admirei pela força e dedicação que vc teve nos cuidados com a Pepita!!
Acompanhei e torci muito em cada post, a Pepita foi sabendo que sempre foi mto amada!!
Sei o quanto dói... força!!
Bjs

Anônimo disse...

Lu, oi amiga, aqui é a Luana do AUG...sei exatamente o que vc está passando, pois o ano passado, depois de ter adotado a Nhanhanhaska (uma gatinha velhinha que andava deprê no abrigo) e ficar 6 meses com ela, descobrimos que ela estava renal...passei toda a via-crúcis que vc bem conhece: exames e mais exames, aplicação de soro TODO SANTO DIA, de manhã e a noite e a cada novo exame, taxas mais altas...até chegar ao ponto dela também se urinar, ficar muito fraca e descansar através das mãos da Dra. Angélica. Eu lembro que estava no final da gravidez do Felipe, muito emotiva, e fiquei sem chão...faz pouco tempo que consegui olhar pra uma foto dela novamente...e mesmo assim não lido muito bem com isso...é de matar...muita força pra vc e fique feliz, na medida do possível, de ter dado à Pepitation uma lar recheado de amor e carinho! Se precisar conversar, me ligue! 8961-8991! Beijos e força!

Fernanda disse...

Li sobre a Pepita no site do AUG. Fiz questão de passar aqui para dizer que sinto muito. Não tenho idéia da dor que vc está passando, mas olho para os meus gatinhos e sinto uma angústia muito grande. Nunca perdi um gatinho e sei que um dia passarei por isso, infelizmente. É o ciclo natural da vida. Mas vc sabe...eles são nossos filhinhos...quem pode suportar tamanha dor? Só quem está com a consciência tranquila, sabendo que fez todo o possível.

E vc fez.

Muita força e muita fé. São Francisco de Assis está com ela.

Fernanda

Kelly Resende disse...

Poxa, que coisa mais triste! Vinha acompanhando sua batalha com a Pepita e imagino o qto deve estar doendo. Comecei a ler o post no meu trabalho e tive q interromper pois as lagrimas teimavam em cair, deixei pra ler em casa, mais reservadamente... Não te conheço pessoalmente, mas tenho certeza q vc é uma pessoa maravilhosa e que foi um anjo na vida da Pepita, assim como ela foi na sua. Tente ficar bem...

Flá disse...

Olá tb sou mãe de gatinhos alguns do adote um gatinho.
Estou chorando pois entendo muito a sua dor,quem não entende não merece nosssa explicação deste amor incondicional.
Força.
Flávia

patidiamante disse...

luísa, mesmo sem nunca ter te visto ou conversado com vc pessoalmente te admiro muito. e tinha um carinho especial pela pepita, torci muito, muito por ela e fiquei muito triste qdo ela partiu. tenho certeza que ela está bem melhor agora e que sabe que vc fez tudo por ela. já passei por isso tb e o que te digo é para vc chorar tudo que tiver pra chorar... sem querer ser clichê, só o tempo vai fazer essa dor passar e se tornar uma saudade daquelas que nos faz bem lembrar. acredite, um dia a dor passa e vc só vai lembrar de tantos momentos lindos com a pequena e isso vai te fazer muito bem! força e coragem...

Guiga disse...

Oi, eu caí aqui de pára-quedas...mas morri chorando de ler esse post. Eu já passei por isso com duas cachorrinhas, e sei o que tu sentes. É uma tristeza que demora a passar...mas depois fica só a certeza de ter feito o melhor possível, e a alegria de ter convivido com aquele serzinho tão especial!
Sinto muito mesmo. Um abraço grande.

Kathy disse...

Luisa, meus sentimentos pra vc, fique bem e em paz. Chore bastante e lembre com carinho das coisas legais que vcs passaram juntas. Um beijo de carinho

Aurea, Sam e Frodo

Claudia Goulart disse...

Se o que vc sente e não existe palavras que nos console nessa hora.
Assim como nos deram alegrias e rimos e brincamos com eles, no momento em que eles não mais estão conosco, é o momento de chorarmos. É bom extravasar.
Um abraço apertado!

disse...

lu, a família sanches granja gosta mto de vc e admira mto o que vc faz pelos bichinhos.

a pê teve mta sorte de ter uma mãe tão especial.

beijo,

dê, bro, gigi, shanzoca, quincas, leo, glorinha, bigas e raquel

Elaine disse...

Olá!
Não tenho palavras, apenas quero dizer que sinto muito...mesmo. E que ao contrário do que dizem, tem coisa que não passa nunca e a gente vai lembrar todos os dias...
Mas você tem razão: a vida segue. E tem mais bebês precisando da mamãe...
Beijos.

Gatinhos de toda parte disse...

:'(

Lu Monte disse...

:(((
"Conheço" seu blog e a Pepita há pouquinho tempo... nem posso imaginar o que é essa dor, só posso desejar que você tenha forças para passar por isso... :´(
(e um afago especial pra Lorena)

Comartins disse...

OLÁ TUDO BEM COM VC?AMEI OS GATINHOS SÃO FOFOS DE+ ADORO GATOS TENHO 5 AO TODO PARABÉNS POR ESTAS FOFURINHAS VOU SEGUIR E VOLTAR OUTRAS VEZES.BJS