quinta-feira, 2 de julho de 2009

saudade...



eu nunca tive bichos. minha mãe falava que depois que morre, a gente sofre demais. eu sempre achei um absurdo, afinal, se um gato ou cão podem viver até 15 anos, desfrutar mais de uma década supera o sofrimento.

eu lembro que quando a gente era bem pequena fomos numa feira de animais. voltamos para casa com três pintinhos embaixo do braço. claro que minha mãe surtou, afinal eu devia ter uns 5 anos, e minhas irmãs 7 e 12.

na manhã seguinte os pintos “acordaram mortos” [adoro esta expressão]. minha mãe se colocou a chorar e reclamar. onde já se viu? sobrava sempre para ela cuidar de tudo, como os pintos haviam morrido. depois de dias descobrimos que minha irmã mais velha tinha alimentado os pobres com presunto, o que, provavelmente levara a morte.

saí de casa. ganhei o nico. adotei o miguel. me separei. virei voluntária do aug. virei lar temporário. adotei a pepita. e aí vcs já conhecem a história. sei que foi melhor, sei que ela não sofre mais, sei que fiz tudo que tinha que fazer, mas cá entre nós? se foder!

triste demais perder um filho. ainda mais assim tão novo. só um ano de convivência. poxa. pq? pq era a hora dela? pq deus quis? pq? ah, na boa, ninguém tira este sofrimento de dentro de mim, ninguém. posso sorrir, posso tocar a vida, posso não falar mais nela, mas aquele focinho rosa sujo de remela preta, o cheirinho forte do problema renal. as costelinhas a mostra, o pelinho macio, a carinha de futriqueira me olhando, isso nunca vou esquecer!

o tempo passa, o tempo voa. mas a saudade é eterna. e na boa? eu não quero perder isso. não me peçam, não me desejem isso. quero sempre fechar os olhos e ver a carinha dela me olhando curiosa. de lembrar da cara assustada quando ela viu uma televisão pela primeira vez. de chegar em casa e sentir uma falta danada.

o número de filhos devia sempre aumentar e nunca diminuir. isso deveria ser a rotina de uma louca dos gatos!

16 comentários:

Cibele disse...

Oi,
A pepita era mesmo muito linda e devia ser uma companheirinha de primeira. Você nunca vai esquecer dela, tenho certeza.
Um beijo grande e fica com Deus!
Esse tempo de luto é necessário.

Nice disse...

Lu,
ela continua no seu coração...e isso é coisa de uma Louca dos Gatos, querida.
Um beijo

cynthia disse...

Lu,vc descreveu oq eu sinto, e lá se vão 4 meses sem a Nina...já salvei todas as fotos dela, mas não consigo apagar nem da maquina nem do celular....choro antes de dormir, sem aquele corpinho macio se aninhando em mim...me desculpe se não tenho palavras de consolo,
só posso te oferecer meu ombro e minha solidariedade! e a certeza de que, como disse Milton Nascimento" qualquer dia, amiga, a gente vai se encontrar!!! bjs de um coração machucado para outro!

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Luísa em 30 e poucos anos já perdi algumas crianças piludas e sinceramente a dor ameniza, mas a saudade fica. Sou capaz de recordar ainda do meu primeiro piludo e isso qdo tinha apenas 6 anos. Então posso dizer de carteirinha que a saudade fica pra toda vida. Beijos, se cuida.

Teodoro disse...

A gente só sente saudade de quem se gostou muito.

Sil disse...

Agora fiquei pensando, que pena que o meu Genésio não conheceu essa farra de gatos! Meu santinho. A gente não esquece nunca, nem eles mereceriam.
bjs

Tânia (Marienkäfer Laden) disse...

Estou com vc e não abro!

patidiamante disse...

essa saudade não tem mesmo que passar nunca! eu só desejo que um dia passe a dor e fique a saudade gostosa, as lembranças lindas, assim como já aconteceu comigo. bjo querida!

Pseudo Observadora disse...

Ainda sinto o rabo peludo da minha Ski fazendo ventania por ai. A diferença é que dia após dia, a saudade fica mais gostosa e menos dolorida. Um beijo grande!

Alice disse...

Infelizmente já perdi alguns animais e posso dizer-te q a saudade não passa. apenas ameniza. Ficas com recordações bonitas no coração e lentamente tudo é mais simples. Quando o meu boxer morreu andei semanas a sentir as patinhas dele pela casa. Ainda hoje ando com uma foto dele na carteira e já lá vão 16 anos!!!
Eles não se esquecem! São parte da nossa vida e compartilharam coisas inesqueciveis connosco. É triste, doi horrores mas passada a fase inicial de luto verás que vais esboçar um sorriso sempre que te lembrares dela e sentirás sempre um calorzinho no coração! :)

Beijinhos para ti e muita força!!

Thais disse...

Não só as loucas por gatos sentem isso. Acho que qualquer pessoa que ame o outro, seja quem for esse outro, tem essa tristeza em si.

Faz parte da vida. Serve para a gente aprender que a felicidade tem que ser aproveitada a cada segundinho. Que fazer tudo aquilo que a gente pode pelo outro é o que importa.

Daqui um tempo a tristeza vai ficar menor, guardada em uma gaveta. Para fora vai ficar uma lembrança sorridente da Pepitones. Um olhar saudoso da doçura e delicadeza dela.

Pode ter certeza.

:)

Rose disse...

Lu, as vezes é bom fazer esses desabafos, dizer o que tá se passando no teu coraçãozinho. Ajuda a aliviar a dor e transforma-la só em saudades e lembranças boas da Pepita. Esquecer vc não irá nunca, e ninguém ousaria a te pedir isso, mas pelo menos conseguir lembrar dela só com saudades, sem dor.
Bjs grande, se cuida e um ótimo final de semana.

Gateira disse...

Olá! Amiga!!!

Posso dizer que me emocionei muito com a história da Pepita, muito lutadora, linda...ela foi descansar, agora não sente mais dores, agora está brincando, linda e saudável...eu sei que é díficl...não sei o que faria sem os meus quatro filhos, faço tudo por eles, como você fez, mas quando é a vontade de Deus, não podemos fazer nada e sim aceitar a grande saudade que ficará pelos restos das nossas vidas...!!!


Beijos!!!Força!!!!!!!!

Anônimo disse...

Olá! Adorei seu blog! Também sou uma louca por gatos, tanto que tenho 8 morando comigo e cuido de vários outros na rua pq não tenho mais espaço.
Me apaixonei totalmente por gatos no dia que perdi um cachorro que foi o grande amor da minha vida, meu companheirão por 13 anos... Na época eu já tinha adotado 4 gatos e um deles, até então o único que dormia dentro de casa, passou a noite abraçado ao meu pé direito, agarrado com força com as quatro perninhas... e lá ficou, quietinho, parecia que nem respirava. Entendi que ele estava me dizendo "respeito e compartilho sua dor... e estou aqui, com vc!"... Mas o que eu queria lhe dizer, é que, por mais que a gente tenha vários animais, cada um é único e a dor de perdê-los é insana... e não passa... após um tempo a gente só se acostuma, mas continua um buraco no peito!
Ainda hoje, choro de saudade toda vez que penso no meu cabeção (o cão que se foi nesse dia, ele era enorme!)... Me desespero qdo penso que o mesmo pode - e provavelmente irá - acontecer com meus "meninos" (a turma de gatos)... Mas sou tão feliz com eles, os amo tanto e sou tão amada, que vale a pena - não a dor da perda, essa jamais!, mas cada minuto que passamos juntos!
Bjs
Didi

Arte dos Gatos disse...

Olá, estou visitando seu blog e li suas mensagens sobre a gatinha preta e posso dizer que não é fácil domesticar esse bichinhos ariscos. Tenho uma pretinha que peguei da rua, já faz um ano e meio, e ela ainda surta de vez em quando, mas já está melhorzinha.
Quanto à perdas, bem, se vc entrar no meu blog, vai ver o quanto aindo choro pelos meus que partiram, em pouco tempo, em 5 meses perdi 2 gatas de 12 anos e um cachorro; entra lá e conheça um pouquinho da minha história também. Se vc é louca por gatos, já está no meu time. Vou te linkar!
Beijos
Simone
ah, tenho outro blog, http://toquinhadoartesanato.blogspot.com, lá também tem muita foto dos meus bichinhos, só ontem resolvi fazer um blog só pra eles!
bj

ca disse...

Putz!
Eu não sabia que pintinho não podia comer presunto... eles gostaram tanto!
Mas o sentimento de culpa foi horrível!