sexta-feira, 12 de março de 2010

fiv

comentei há algum tempo que um dos meus filhos é portador de fiv, a aids felina. assim como nos humanos, nos gatos, esta doença afeta o sistema imunológico. ela não mata, mas faz com que o animal fique mais suscetível a outras doenças, que podem se tornar graves por conta da baixa resistência que o vírus causa.

to para escrever uma matéria sobre esta doença há tempos para o aug, até já entrevistei a dra. angélica, mas a correria sempre faz com que outras coisas se tornem prioridade. hj me deparei com este texto no blog da lucia, uma super parceira da lojinha e gateira de carteirinha. fiquei feliz em ver que mais pessoas querem esclarecer a doença.

diferente da felv [leucemia] que pode levar o animal a óbito em pouco tempo, a fiv é uma doença relativamente tranqüila nos gatos. ela quase não tem sintomas, mas pode ser observada por processos inflamatórios. com o miguel foi assim. notamos uma inflamação crônica na gengiva e a angélica pediu os exames.



existem muitas opiniões sobre esta doença. muitas recomendações e preconceitos tb. apesar de conviverem juntos há mais de dois anos e terem já quebrado o pau diversas vezes [semana passada mesmo o nico tava com o queixo aberto], o miguel não passou o vírus para ninguém em casa. na época em que desconfiamos da doença, examinamos os dois.

segundo a angélica, é muito raro a transmissão pela saliva, mas é possível sim. de qualquer forma, ela me orientou que na maioria dos casos é necessário uma troca de sangue muito grande. ou seja, briga violenta com sangue espalhado pela casa ou no ato sexual, pois os gatos mordem as fêmeas até machucar, e o esperma tb transmite.

não estou aqui para falar o que é certo e que é errado. para mim, veterinário é que nem médico. se eu não confiar cegamente, eu mudo para um que eu confie. e graças a deus a dra. angélica além de me passar muita confiança é minha amiga pessoal.

alem disso, transmissão para mim é uma “ciência inexata”. nunca sei bem ao certo pq alguns serem pegam e outros não, mesmo sendo expostos ao mesmo perigo. é a história do livro/filme “ensaios sobre a cegueira”: o mundo ficou cego menos a mulher do médico… pq, ne?

a idéia aqui é fazer vc pensar, pesquisar e tirar suas próprias conclusões!

o que posso dizer é que agradeço todos os dias por ter adotado o miguel sem saber que ele portador do vírus da fiv. pois eu acho que se eu soubesse, jamais teria o adotado e hj não desfrutaria da sua presença! isso fez com que minha cabeça se abrisse para que no futuro, quem sabe, eu opte por adotar só gatos com alguma “limitação”.

afinal, gatos com fiv podem ter vida longa e saudável. eles precisam de atenção especial, mas não nenhum trabalho especial. é ficar de olho e fazer do ambiente em que vivem o mais tranqüilo possível!

8 comentários:

lucia fontes disse...

Assino embaixo, Lu: pensar, pesquisar e tirar as próprias conclusões. E gente tenta ajudar na parte das informações... hehe! Beijo nocê e nos seus bigodes lindos! Lu!

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Já pensei como você Lu, em adotar apenas rejeitados, velhos ou com qualquer outro probleminha. Hoje começo a esbarrar no problema de idade... quem ficaria com eles se algo me acontecer. Enfim deixou o coração decidir e tento ajudar os que puder. Beijos e lambeijocas nas crianças.

Ana, Aprendiz de Anjo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
neko disse...

Você tem razão. Infelizmente o preconceito com gatos é tão grande, que englobam cor, personalidade, idade, etc, como se o amor que eles pudessem nos dar fosse resumido a essas pequenas coisas materiais. Acredito que a Aids Felina é somente um detalhe e que há muito o que eles podem desfrutar mesmo com essa condição. Sorte do seu filho por ter uma mãe como você :)
abraços!

Consuelo disse...

Sorte do Miguel q ele tem vc Lu! Mas ele tá forte e saudável, e isso é o que importa, tudo na vida acontece por um motivo. Parabéns por cuidar tão bem dos bichinhos!!! Bjssss

Andreia disse...

Tu és uma pessoa especial, por isso tem gatos especiais. Parabéns pela família linda! Tudo está e ficará bem. Sou tutora de um sialata chamado Panthro e ele te manda lambeijokas. Bjs.

Paula Ruiz disse...

OI,
eu tenho um gatinho de 6 meses que esta bem doentinho. Diagnosticaram PIF. E aquele papo de "nao há o que ser feito".
Estou desesperada, tentando de tudo para salva-lo, mas vejo ele caindo dia a dia, muito embora ele seja guerreiro e esteja lutando bravamente.
Alguem tem alguma informação, sugestão, quer trocar uma idéia?
Soube de um remedio experimental que vende na Europa. Mas nao estou conseguindo comprar...
Paula

Louca dos Gatos disse...

paula, infelizmente pouco se sabe desta doenaça, mas oq ue já vi é que quando manifesta, não tem muito mesmo oque fazer =(