quarta-feira, 9 de junho de 2010

rastros de sangue

quando eu optei por acolher uma gata ‘arisca’ eu sabia que não seria nada fácil, principalmente pq ela não se deixa tocar com facilidade e coisas simples, como vermifugar e passar anti-pulgas vira uma operação para swat.

a rita não tem vacina, nem sei a idade dela. ela nunca teve as unhas cortadas e nem seu corpinho examinado. para ser castrada, ela foi enfiada num saco de feijão para poder tomar anestesia, pois ela virou uma onça e quase comeu todos vivos na sala de cirurgia.

eu nunca me importei com isso. como os demais gatos de casa são vacinados, eles estão seguros e não passam nada para ela. e o que ela tiver que ter, já tem mesmo. agora, vivendo confinada, não vai acontecer nada.

quando tive que vermifugar, a dricka foi em casa me ajudar. eu não sou medrosa, mas quando é com nossos filhos, sempre bate um receio e parece que eles percebem e ganham força. neste mesmo dia passamos anti-pulgas e achei que tava ok. já que não tem como pegar pulgas em casa.

só que a gente nunca sabe o que vai acontecer, né?

eis que hj acordo meio atrasada e faço meu ritual. banheiro, com direito a colo para miguel e nico. cafuné na lolô. aquilo de sempre. só que percebi duas marcas de sangue feitas com patinhas no chão do banheiro. fiquei sem entender o que aconteceu... limpei.

saindo do banheiro, ritinha no quarto me olhando e miando gritadinho como sempre. tento fazer carinho e ela volta para debaixo da cama. me desloco para cozinha para limpar as caixas de areia e completar os potes de ração. mais manchas de sangue.

porra. alguém se machucou feio! pensei. seguindo as marcas, vi que elas iam para a caixa de ração, máquina de lavar roupas e parapeito. me sentindo o próprio dexter segui as manchinhas e para meu total desespero, elas davam na caixa de transporte do parapeito que estava com um poça de sangue semi-seca.

limpei tudo, examinei os meninos e a lolô e fui na tentativa de examinar a rita. peguei no colo, tentei olhar o máximo que pude e aparentemente não tinha nada. o que fazer, tb? so espero que eles não achem que isso virou muda e comecem o espancamento diário na pretinha.

coração na mão e pensamento positivo.

ai, mãe de gato sofre!

8 comentários:

.mila. disse...

Nossa, Lui ... muito estranho mesmo.
Mas você examinou eles direitinho e nada, né? Vai entender ... na dúvida, chama o C.S.I. rs

Brincadeiras à parte espero que não aconteça mais e caso aconteça que as peças se juntem e você descubra esse mistérios.

ps: será que é possível algum das gatinhas terem menstruado mesmo estando castradas? Hahaha, acho que não, né? Enfim ...

Beijo.

Louca dos Gatos disse...

juro que pensei que eu que tinha menstruado hahaha. pensei, jesus, enlouqueci. que nojo! mas deve ter sido machucado nela, pois a caixinha de transporte do parapeito é ela quem usa. ou seja...

Renata Prado disse...

Que estranho... Bom, a minha experiÊncia com brigas é inexistente, então nem sei o que dizer. Mas será que não foi algum bicho que eles mataram??

Carla Pinheiro disse...

Ai Lu

Tadinha da oncinha... vc examinou tudinho?
Tô com dó dela...

Deca disse...

Lú:
Sou eu denovo...
Desculpe te incomodar, mas estou meio perdida com os 3 filhotes aki...
E pra pirorar descobrí que a menina é ceguinha. Não 100%, mas tem grande dificuldade...
Me ligue, pelo menos pra me passar algumas dicas, tá?

BJS

patidiamante disse...

oi luísa! tadinha da rita... eu gosto tanto dela, tadinha... (dos outros tb, mas ela é tão sofridinha né?). vc conseguiu descobrir o que aconteceu?
bjo!

Tânia (Marienkäfer Laden) disse...

Oi, Luísa!
Será q ela fez cocô com sangue? Alguma coisa irritou as mucosas, tipo cocô muito duro ou até pode ser giárdia (calma, pode ser, rs).
:)

Louca dos Gatos disse...

deca, te mandei e-mail. eu não tenho como ajudar no momento, ms te orientei por lá!

beijos