terça-feira, 16 de julho de 2013

o bebê está chegando...

e agora? como fazer a apresentação do novo membro da família com os gatinhos da casa?

muita gente tem me perguntando este tipo de coisa e, por não ter filhos, não sei bem como responder. meu sobrinho nos primeiros anos de vida não interagia muito com meus gatos, pois sempre que me visitava, meus gatos sumiam (rs). por saber que os gatos sentem muito qualquer mudança de rotina, conversei com a dra. angélica lang klaussner, especialista em felinos e em comportamento e, vet dos meus quatro piludões ;)

ldg: como se programar para a chegada de um bebê quando e têm gatos?
dra. angélica: as pessoas têm pelo menos oito meses para se programar para a chegada de um bebe, já que geralmente descobrimos a gravidez no primeiro mês de gestação. gatos são animais de estimação sim, mas possuem personalidade própria e, antes de idolatrar seus tutores, como os cães, eles vivem para si em primeiro lugar. ao saber da chegada de um bebê, é importante que a família faça a integração entre o gato e a gestação, para que a chegada do bebê seja mais fácil.

ldg: a gestante pode ter contato normalmente com seus gatos?
dra. angélica: a gestante pode e deve ter contato normalmente com seu gato. para deixar essa relação segura, basta fazer o exame de toxoplasmose em ambos, que a neura vai embora. durante os nove meses de gestação é comum ouvirmos relatos sobre a mudança de comportamento dos felinos. por serem seres muito sensíveis e com capacidade de captar energia, eles podem se aproximar muito dos humanos, pois e geralmente a família fica mais receptiva, já que há uma renovação energética.

mamãe paula ensinou o amor entre a pilar e os gatinhos mesmo antes do nascimento

ldg: como evitar que os gatos subam no berço? qual o perigo de deixá-los dormirem com os bebês?
dra. angélica: não é recomendado que gatos ou cães durmam junto a criança antes de quatro meses de idade. gatos, em geral, são maiores que bebês desta idade e podem sufocá-los, já que os bebês ainda não conseguem mudar de posição sozinhos. isso, porém, não quer dizer que os bebês não possam ter contato com os gatos da casa. pelo contrário.  quanto mais vc evitar o contato entre eles, mais curiosidade vai gerar no gato.

ldg: como minimiar as mudanças para os gatos com a chegada do bebê?
dra. angélica: isso vai depender muito da relação que vc tem com seu gato.  quanto mais próxima essa relação, maiores são as mudanças no inicio. afinal, bebês recém-nascidos exigem uma demanda muito grande de atenção e com isso, os gatos vão acabar ficando um pouco de lado. as mudanças familiares são muitas, mas é importante perceber que, para o gato, é a possibilidade de uma nova companhia, de uma nova amizade. mesmo que no inicio seja difícil, tente somar a criança à sua família já formada, a qual envolve os animais que chegaram antes.

amanda e fender 

ldg: como fazer a aproximação entre o bebê e os gatos?
dra. angélica: a aproximação deve ser gradativa e contínua. não há necessidade de impedir o contato, apenas faça de maneira monitorada para que o gato saiba que “bichinho estranho” é este que ao chorar, vc se apresenta imediatamente, nunca o espanta, que fica com ele no colo toda hora em vez de ficar com ele (o gato). é importante evitar que o gato suba no berço mesmo antes do nascimento do bebê, assim ele fica com a informação concisa de que ali não é um lugar para ele. se for difícil, deixe um “cafofo” para ele próximo ao berço ou a cama do casal. nos primeiros 2 anos de vida do bebê, vacine-o regularmente a cada 6 meses. se o gatinho tiver acesso a rua, dê banhos frequentes para evitar acumulo de sujeira, mas apenas se tiver acesso às ruas. lembrem-se, gatos são exímios nessa função.

pilar e figo <3 p="">


no mais, gente, é curtir esta relação, né? nada mais gostoso que ver seu filho crescer amando os animais! podem ter certeza, depois que eles se acertarem, vão ser grandes amigos e vc vai desfrutar de cenas lindas e engraçadas desta interação!

aiiii vontade de sequestrar a pilar heheheh coisa mais rica!

você tem gatinhos e um bebê? então me escreve para contar como foi a adaptação: sou@loucadosgatos.com

agradecimentos:
1. mamai paula por ter liberado as fotos da pilar fofucha com os gatolinos.
2. mamai ana, por ter liberado a foto da amanda com o fender.
3. dra. angélica por ter concedido a entrevista.
clínica veterinária bigodinhos.
atendimento de segunda à sábado
rua estado de israel, 46 - vila mariana (5081-2751).
não é necessário marcar consulta, o atendimento é feito por ordem de chegada. 

2 comentários:

Karina disse...

Ainda não tenho filhos humanos, mas penso que quando chegar a hora vamos todos nos adaptar super bem, com as devidas precauções. Acho o máximo essas fotos de bebês e gatinhos juntos. Comigo quero que seja assim também!
Beijos

vet show disse...

o negócio é ir apresentando aos poucos
http://www.vetshow.com.br/p/689/racao-hills-science-diet-feline-adulto-controle-de-bolas-de-pelo-hills