terça-feira, 15 de julho de 2008

fuga das gatinhas


como de costume, acordo cedo e a primeira coisa que eu faço é entrar no quarto das meninas para fazer uns afagos, limpar acaixa de areia, verificar se tem ração, trocar a água... ufa... e dar remédio para pepa. em geral faço isso em duas ou três viagens. todo dia esta rotina se repete pela manhã e a noite. período em que faço mais visitas para que elas não se sintam tão só.

sempre que eu abro a porta a pepa doidinha está na espreita para espiar o movimento no resto da casa e dar umas paqueradas com o miguel [rsrs], que sempre tá me esperando no corredor. sempre tomo o máximo cuidado possível para ela não escapar e rolar aquele fuzué.

ontem, entretanto, tava com preguiça e fazer muitas viagens e fui toda espertona equilibrando vassoura, pá, água, pote de ração, saco de lixo e pá de recolher o coco. como de costume, abri a porta e fiquei esperta para que a pepa não escapasse.

só que, mais esperta que pepa e eu juntas foi a pepita, que percebeu minha fragilidade equilibrando aquele monte de apetrechos e bateu em disparada para explorar a casa toda. foi um pega-pra-ca-pá danado. da-lhe luísa sem saber se jogava tudo e corria atrás dela, se fechava a porta do quarto ou se relaxava.

deixei tudo no chão, fechei a porta para que a pepa não fugisse tb e fui na tentativa de buscar a pequena. logo que saiu do quarto, a pepita deu de cara com o nicão pê da vida que foi logo mandando um fu bem sonoro para a pequena que resolveu fazer meia-volta e pegar uma rota alternativa. correu pela sala, voltou para o corredor e entrou no meu quarto. o miguel sem nem se abalar foi seguindo a danada para saber até onde a ousadia dela chegaria.

tentei segurá-la, mas a única coisa que consegui foi uma dúzia de arranhões. neste momento, depois de 20 segundos intermináveis, lembrei da vassoura e entrei no quarto delas para pegar. claro que não usei a vassoura para ameaça-la, pelo amor de deus né? mas a vassoura ajudou a guiar a pequena de volta ao quarto, longe de fus e olhares desesperados.

depois de tudo resolvido, desatei a gargalhar. entrei no quarto, fiz minhas tarefas diárias e sentei no chão para brincar um pouco com elas. a pepita nem se abalou. depois da confusão, se chacoalhou, olhou para trás e foi para o potinho de comida. comeu contente e feliz, bebeu aguinha fresca, se esfregou um pouco em mim e foi para caminha descansar.

coisa de gata descolada. que não se abala por nada. só por deus viu?

4 comentários:

Silvia disse...

kkkkk... esses gatos de quarto, ficam doidos pra saber o que tem do outro lado da porta!
Boa sorte com as meninas! bjo

Japa Girl disse...

Tô só imaginando a cena...Realmente abrir a porta com um monte de coisas na mão, tentando deixar cada gato do seu respectivo lado da porta é muito difícil.
Bjo!

Japa Girl disse...

Vou aproveitar e deixar aqui o convite para uma brincadeirinha. Veja as regras lá no blog e participe! Vamos ver onde isso vai dar...

Louca dos Gatos disse...

pois é. me achei a super espertona. preguiçoso trabalha dobrado!!!!