sábado, 10 de julho de 2010

mãe de bosta

sensação de incompetência e culpa. é assim que me sinto quando sou relapsa com meus filhos. quem me conhece pessoalmente sabe que sou super ortodóxica com meus gatos. eu faço exatamente o que a veterinária deles manda, eu dou a melhor ração, água filtrada e os levo o consultório a qualquer espirro. chego a ser chata. mas, eu acredito que se eu decidi adotar um animal, eu devo cuidar da melhor maneira possível. e vai ser assim para sempre.

eis que hj, depois de levar o miguel para vacinar, liguei para minha irmã e combinei de almoçar na minha mãe. passei aqui em casa correndo, deixei o pequeno aqui e saí. ao chegar na garagem, me dei conta que havia esquecido o celular, mas como só ia na minha mãe, decidi me dar o direito de ficar sem celular a tarde toda.

passei cerca de três horas lá. almocei, brinquei com meu sobrinho e coloquei o papo em dia. no começo da noite já era hora de vir para casa, afinal, pretendo sair logo mais e sempre gosto de dar um tempinho com eles antes de sair.

imagine uma pessoa branca, assustada e aliviada ao mesmo tempo? pois foi assim que fiquei ao abrir a porta do elevador e dar de cara com o nicolau preso no hall para fora. assustado, em pânico e escondido atrás do meu vaso de plantas.



acho que meu sangue veio todo para meu pé. na hora, agarrei o pequeno e comecei a chorar me sentindo a pior mãe do mundo. abri a porta de casa e logo ele pulou do meu colo e começou a passear pela casa como se nada tivesse acontecido.

o porteiro ligou na sequência perguntando se o gatinho era meu, que ele estava muito assustado. eu respondi que sim e falei que estava dentro de casa já. e que agora tudo estava bem.

afe. e eu que me achava a mãe mais dedicada do mundo, estou me sento uma mãe de merda. o pior é que faço contagem da galera sempre que saio ou chego. conto e reconto e cansei de olhar o hall para verificar se as escadarias estavam trancadas, já que eles são super curiosos.

agora, a atenção vai ser mais que triplicada e espero, de verdade, que este sentimento de culpa vá embora com uma boa noite de sono.

=/

9 comentários:

Carlotinha disse...

Lu
Isso acontece nas melhores famílias de Londres.
Não encana que vc é super dedidaca e mega mamis pros seu gatos.
Acidentes acontecem. O importante é que ele tá bem e tem muita sorte por ter vc.

Beijos e fica bem

Luna, Rodolfo e Tifani disse...

Tia Lu,
isso acontece, o importante que é que vc conseguiu chegar a tempo e colocar o Nicolau para dentro de casa. Temos certeza que o Nicolau já está ronronando faceiro.
Bom findi tia.
Bj
Luna, Rodolfo e Tifani

Tânia (Marienkäfer Laden) disse...

Eu imagino seu desespero (ou não).
Isso acontece. Deve ser estresse, muita coisa para administrar.
Eu tb ficaria sem chão se isso acontecesse, mas se fosse uma mãe ruim, nem se importaria com isso.

Bernadete disse...

Não adianta dizer pra não ficar assim, pq eu tb já fiquei assim.
No trabalho recebi o telefonema de uma vizinha que meu gato tava preso entre a tela e a janela.
Sorte que moro perto e fui até em casa salvar o pobre.
Minha consciencia pesou!. A gente, conta, olha em todos os cantos pra ver se ta td bem, mas um dia algo falha.
A boa vontade da vizinha me ajudou, pois ela nem sabia onde eu trabalhava. Só sabia a rua, e disse que se não me encontrasse por telefone, ia sair e iria procurar pessoalmente em cada estabelecimento ate me encontrar.
Me martirizei pensando no coitado, passando medo, frio ou calor.
Naquele dia, fiquei amassada por dentro.
Vai passar. Bju.

duda lima disse...

Luí,
imagino o seu desespero/alívio ao ver seu filhote, mas isso acontece nas melhores famílias, inclusive já aconteceu na minha casa também!
você é uma mãe excelente, não duvide disso nunca!
bjinho

Silvia disse...

menina... como cercar 100% um gato? eles são muito arteiros e adoram um desafio. já passei por isso algumas vezes, por sorte, percebi logo(por que estava em casa). até hoje não sei como eles se desmaterializam para passar pela porta sem serem vistos! rs
que bom que tudo ficou bem, fique tranquila agora... hoje quando entro em casa, não abro mais do que alguns centímetros para conseguir passar as pernas, depois o tronco, depois cabeça e a bolsa! rs
bjoca

Vivi, Mozart e Monalisa disse...

Que coisa, realmente é de se sentir mal com isso, mas nossos filhos são muito arteiros e não veem a hora de cosneguir sair da porta. Aqui em casa tb é uma ginástica toda vez... Uma vez deixei o Mozart sozinho por 1 dia e meio e quando cheguei ´percebi que ele havia entrado no meu quarto e com a corrente de vento a porta fechou, o gato ficou 24hs sem água, comida e areia. Me senti péssima, a pior mãe do mundo. Mas se podemos tirar uam lição, fico bem maia atenta com as portas agora!!! Bola pra frente e aprendendo com os probleminhas!!!
Um ótimo semana para vc e toda a família felina linda!! Vivi, Mozart e Monalisa

Felina disse...

já passei por isso tb, tb faço contagem sempre e Lya escapuliu de mim num milionésimo de segundo, num fechar de porta, quase morri, fui encontrá-la no 4º andar quase 2h depois, assim como crianças eles nos cegam tb, beijo!

Felina disse...

já passei por isso tb, tb faço contagem sempre e Lya escapuliu de mim num milionésimo de segundo, num fechar de porta, quase morri, fui encontrá-la no 4º andar quase 2h depois, assim como crianças eles nos cegam tb, beijo!